Mamãe você conhece o Complexo de Édipo/Electra ?

Eu desconhecia este assunto, até que em uma de minhas aulas em Saúde Mental, a professora deu como tema de trabalho este complexo. Achei interessante trazer para vocês:

Édipo e Electra :

Os meninos desejam ter a sua mãe só para si, enquanto as meninas são fascinadas pelo pai. Conheça a importância deste complexo.

Como se caracteriza o complexo de Édipo/Electra?
Segundo a teoria psicanalítica, dos 3 aos 6 anos o menino começa a sonhar e a desejar ter a sua mãe só para si e para tal distancia-se do pai, uma figura que é encarada como rival e de quem a criança sente ciúmes e alguma hostilidade. Este tipo de comportamento foi denominado por Freud como complexo de Édipo.

Com a menina sucede exactamente a mesma situação, mas em relação à figura do pai e neste caso denomina-se complexo de Electra.

Os meninos e as meninas "competem" assim com a figura do pai ou da mãe, gerando sentimentos de rejeição e de agressão contra o seu progenitor. Esta situação torna-se angustiante para a criança que, na maioria das vezes, nem tem consciência do que está a suceder.

No fundo ela ama o seu "rival", tem medo de perder o amor dos pais e de ser castigada pelos seus ímpetos inaceitáveis. Esta ambivalência de sentimentos (amor/ódio) cria-lhes uma grande ansiedade, um conflito interno que as deixa bastante vulneráveis.

Pensemos em duas situações do quotidiano que espelham o complexo de Édipo/Electra nas crianças:

Um menino pede ajuda ao seu pai para uma dada situação, mas este recusa. Esta negação provoca-lhe um desejo de entrar em conflito com a figura paterna, um sentimento de revolta e insatisfação, que pode terminar em gritosjá não gosto mais do pai» e até em atitudes agressivas.

Outro exemplo, uma menina que é muito carinhosa e normalmente pede a companhia da mãe antes de adormecer. Mas um dia, inesperadamente, grita e chora incessantemente, pedindo à mãe que saia de casa e nunca mais volte.

Estes comportamentos das crianças, a disputa com as suas figuras parentais, é uma luta nem sempre é fácil de compreender e de aceitar pelos pais.

Quando termina o complexo de Édipo/Electra?

Para dominar esta ansiedade, as crianças iniciam um processo de identificação com a figura parental do mesmo sexo. Isto significa que por volta dos 6 anos a criança supera este conflito e esquece o sucedido. O menino identifica-se com o pai e a menina com a mãe, vêem-nos como figuras ideais e modelos a serem copiados em tudo aquilo que dizem, fazem ou pensam.

Segundo Freud, esta etapa do desenvolvimento, que para alguns educadores é um período bastante controverso, tem um papel decisivo na formação da afectividade da criança. O desenvolvimento da moral da criança está dependente da vivência desta ambivalência de sentimentos (amor/ódio) e da resolução deste conflito interno.

Como é que devem reagir os pais ou educadores perante esta etapa do desenvolvimento?

Os pais devem perceber que esta etapa é natural no desenvolvimento das crianças e vai passar. Esta compreensão é fundamental para ajudar a criança a superar os seus conflitos.

Os pais devem ter muita paciência, atenção e amor. Não é aconselhável que tentem corrigir o comportamento da criança, nem explicar o que lhe está a acontecer, pois ela não iria entender e seria extremamente prejudicial para o seu crescimento saudável.
Via: FORUM DOS BEBES

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...